Pular para o conteúdo principal

Autores do blog

Minha foto
Dr Diego de Castro dos Santos
Vitória, Espírito Santo, Brazil
Neurologista em Vitória. Formado em Medicina pela Universidade Federal do Espírito Santo com especialização em Neurologia e Neurofisiologia pela Universidade de São Paulo. Experiência em eletroneuromiografia, dor de cabeça, toxina botulínica e neuromodulação. Atendimento em Vitória e São Paulo.

Botox em Vitória: Botox no tratamento das sequelas do AVC



O AVC é a principal causa de perda de mobilidade em adultos com mais de 50 anos. Além da perda de mobilidade os pacientes podem evoluir com fraqueza associada a "enrijecimento muscular" denominado espasticidade. Atualmente a toxina botulínica (Botox)  é uma ferramenta importante na reabilitação de pacientes vítimas de AVC prinicipalmente nos pacientes que apresentam espasticidade.
Os objetivos do tratameno com Botox  após AVC incluem:
  • Aumentar a mobilidade
  • Aumentar a amplitude de movimento
  • Facilitar a realização da higiene e de outras atividades funcionais
  • Melhorar o desgaste da imobilização
  • Melhorar a dor
  • Diminuir a salivação excessiva (sialorréia) em pacientes com AVC quando aplicada nas glândulas salivares.
Como exemplo prático um pacientes vítima de AVC que apresenta uma postura da mão constantemente fechada, com os dedos ou punhos “endurecidos”, ao receber a aplicação de toxina nos músculos com espasticidade apresentará o relaxamento da musculatura e a mão vai se tornar maleável e abrirá com mais facilidade.
Um exemplo semelhante pode ser usado quando existe espasticidade na perna. Alguns pacientes podem ficar com a “perna esticada” ou “ficar arrastando a ponta do pé” por dificuldade de apoiar a planta do pé no chão. A toxina nesses casos pode proporcionar o apoio do pé no chão de maneira adequada. Em ambas situações, a toxina facilita a realização da fisioterapia, possibilita o uso de órteses, previne o surgimento de deformidades das articulações.  A toxina em si não é capaz de recuperar a força que ocorre após o AVC, mas juntamente com um programa adequado de fisioterapia e outras estratégias, ela é uma importante ferramenta para a reabilitação e trazer qualidade de vida aos pacientes.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Botox em Vitória: Botox é um poderoso tratamento para dor de cabeça crônica

Botox em Vitória: Botox é um poderoso tratamento para dor de cabeça crônica
Botox em Vitória: Poucas pessoas sabem mas o Botox (toxina botulínica) é um poderoso tratamento para dor de cabeça crônica. Se você sofre com dor de cabeça quase que diariamente você não está sozinho. Cerca de 4% de toda população mundial é vítima de uma forma de enxaqueca denominada "migrânea crônica". Esse tipo de dor de cabeça é uma doença que ocorre mais de 15 dias por mês. Dor de cabeça não é frescura! É uma condição, muitas vezes incapacitante, que afeta o humor, o sono, a produtividade do trabalho, os relacionamentos e a qualidade de vida das pessoas.


A toxina botulínica (Botox) é uma forma de tratamento para os pacientes com dor de cabeça crônica, principalmente para os que têm dor de cabeça que originalmente eram uma enxaqueca esporádica.


Como é a aplicação do Botox na Enxaqueca?


Nos casos de enxaqueca a toxina botulínica (botox) é aplicada em aproximadamente 31 pontos localizados na cabeça, p…

Botox em Vitória: Toxina Botulínica é um tratamento muito além da Estética

Como a Toxina Botulínica (Botox) Funciona?A Toxina Botulínica (Botox) nas doenças neurológicas é aplicada em lugares específicos do corpo onde há contração muscular involuntária ou excessivamente anormal. A administração é intramuscular, por meio de injeções. A quantidade de aplicações, assim como os músculos escolhidos e as doses utilizadas são definidas de acordo com o tipo e gravidade da doença. Após a aplicação, a Toxina Botulínica faz uma rápida e irreversível ligação com as terminações nervosas atuando no ponto em que o nervo se liga ao músculo (termo médico junção neuromuscular). Nessa região a toxina inibe a liberação de neurotransmissores de acetilcolina o que acarreta o relaxamento da musculatura que está se contraindo de maneira anormal. O efeito da toxina dura em média 4 meses com alguns casos podendo se beneficiar por 6 meses. Após esse período é necessário repetir as aplicações.








Dr Diego de Castro é Neurologista e Neurofisiologista pela Universidade de São Paulo e disponibi…